Política

1 mentira tipo 10 verdades

Compartilhe isso:

Boletim emitido pela SSP-SP distorce a realidade da noite de 16/01. Mais de 15 mil pessoas foram encurraladas no Viaduto do Chá em SP no ato contra o aumento da tarifa

Desconstruindo os fatos que ocorreram na 2ª manifestação contra o aumento da tarifa do transporte público em São Paulo, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP) divulgou nota enganosa sobre o ataque da PM contra os manifestantes que estavam em frente à prefeitura de São Paulo.  O protesto pacífico havia começado  na Praça do Ciclista, na região da Avenida Paulista.

Por volta das 21h da noite de sexta-feira (19/01/15) um aparato reforçado de policiais, entre eles, a Força Tática e o batalhão do Choque com agentes “mascarados” acompanhavam a manifestação concentrada no Viaduto do Chá. Enquanto gritos pela redução da tarifa e manifestos eram projetados na fachada da prefeitura, bombas de efeito moral, balas de borracha, gás lacrimogêneo e gás de pimenta, foram atirados contra as 20 mil pessoas (segundo dados divulgados pelo Movimento Passe Livre, organizador do protesto) que ficaram encurraladas nas imediações do Viaduto do Chá, Praça do Patriarca e das ruas Líbero Badaró, São Bento e Direita. Ambas as ruas são conhecidas por serem estreitas, e ficam no centro da capital paulistana.

Grande parte da multidão, inclusive a Revista Megafonia, ficou por minutos sendo atingida por bombas de efeito moral jogadas à queima roupa e balas de borrachas atiradas a esmo pela PM.   No fim do ataque, muitas pessoas ficaram feridas, 13 foram detidas e três agências foram depredadas em resposta a repressão truculenta do estado.

Boletim enviado pela assessoria de imprensa da SSP/SP
Boletim enviado pela assessoria de imprensa da SSP/SP

Em uma nota emitida na mesma data pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-SP), a PM acusa os manifestantes de terem iniciado o confronto atirando um rojão contra os policiais e para reprimir a ação informa ter utilizado apenas munição química (gás lacrimogêneo e spray de pimenta). Porém, os dois vídeos inclusos no boletim divulgado pela própria SSP-SP, comprovam que a tropa inicia o ataque de violência contra os manifestantes antes de qualquer barulho de rojão (que não se escuta nas imagens), arremessando as bombas de efeito moral seguidamente. Ao assistir, nota-se que a ação parece simular o barulho de fogos de artifício com barulho das munições de feito moral e a utilização de uma faísca de bomba de gás lacrimogêneo, que é arremessada da direção de onde só haviam policiais  contra os manifestantes que estavam do lado oposto, provando que os fatos ocorridos na noite de sexta-feira (16/01) não são o que a PM afirma no boletim emitido pela SSP-SP.

Assista aos vídeos:

PM ataca marcha em São Paulo com bombas e tiros

http://migre.me/obpKW

Vídeos divulgados pela SSP-SP:

VID-20150116-WA0000

VID-20150116-WA0001

Compartilhe isso:

Comente

Comentários

Powered by Facebook Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.